Investir em Portugal

o portal da ruralidade contemporânea

Guiões de suporte à gestão

Tuesday, May 15 2007 12:38

O site do Iapmei disponibiliza online um conjunto de Guiões de Suporte à Gestão.

No actual momento de novas oportunidades, onde todas as empresas têm que operar no mercado global e esse mesmo mercado chegou até nós, a importância de suportar a gestão em ferramentas válidas torna-se indispensável.

VARIAÇÃO DA POPULAÇÃO E DO PIB DAS REGIÕES NUTS II E NUTS III NO PERÍODO 1991-2003

Monday, May 14 2007 06:41

Com o intuito de ilustrar sinteticamente o desempenho relativo das regiões nos últimos anos, apresenta-se no gráfico anterior um exercício simples de associação, para as NUTS II e NUTS III, entre a taxa de variação média anual do PIB e a taxa de variação média anual da população, ambas no período 1991-2003. Esta ilustração permite constatar que, sendo embora muito variadas as situações representadas, o efeito “dimensão da população” é determinante: como seria expectável, a região
de Lisboa influencia significativamente o comportamento da média nacional, superando mesmo esta em ambas as variáveis. Neste quadrante insere-se também a região do Algarve, revelando a respectiva atractividade e o seu bom desempenho económico. Em contraste, a região Norte mostra um menor vigor no crescimento do PIB, sendo dispersa a localização relativa das respectivas NUTS III. O Alentejo revela, pelo seu lado, alguma homogeneidade no comportamento das sub-regiões, encontrando-se no quadrante menos favorável (com as taxas de crescimento em posições inferiores à média nacional). Com um desempenho favorável em termos de crescimento do PIB, mas apresentando redução em termos populacionais, encontram-se o Centro, os Açores (muito próximos da média nacional em ambas as variáveis) e a Madeira (que evidencia um forte crescimento do PIB e um decréscimo populacional ao longo do período).

In QREN

Ivity

Monday, May 14 2007 10:16 Nasceu a Ivity Brand Corp,S.A., uma nova empresa especialista em criação, gestão de marcas e programas de inovação, pelas mãos de Carlos Coelho e Paulo Rocha.

Carlos Coelho e Paulo Rocha, os criadores da Novodesign, em 1985, e da Brandia, em 2002, lançam, a partir de hoje, o seu novo projecto, após 14 meses de ausência do mercado, por imperativos contratuais.

Surge assim a Ivity, uma empresa portuguesa com um espírito internacional.
Para os fundadores, esta não é apenas mais uma agência de publicidade. Aliás, não é uma agência de publicidade no sentido tradicional do termo. Estes pretendem colocar todo o conhecimento desenvolvido ao longo dos últimos 20 anos ao serviço de quem pretenda investir seriamente na sua marca. A nova empresa vai ter todas as valências necessárias à criação, gestão, monitorização e implementação de programas integrados de marca, ou seja, o centro do trabalho a desenvolver será sempre a marca.

Com a Ivity, nascem também muitas aspirações, os dois criativos afirmam que tudo vão fazer para que, nos próximos anos, voltem a ser líderes de mercado, tornando-se, novamente, numa referência nacional na criação e gestão de marcas. Além disso, querem começar já com projectos internacionais, em quase todos os continentes.

Para Carlos Coelho, os concorrentes serão todas as empresas que levarem muito a sério a criação e gestão de marcas e, nesse sentido, acredita que o mercado está globalmente carente, uma vez que ainda existem muito poucas. Assim, diz que, sem nenhum desrespeito pelo talento de inúmeros profissionais que estão espalhados pelo mercado, considera que os principais concorrentes serão as grandes casas internacionais de branding e inovação como a Saffron ou a IDEO e ainda um conjunto de factores que muito o entristecem e que parecem difíceis de eliminar: o improviso (no mau sentido do termo), a ignorância, a falta de ambição e o temor ao risco.

O investimento inicial será de 250 mil euros e poderá ascender a 1 milhão, caso no primeiro semestre sejam contractualizados um número de clientes que assim o justifique. O crescimento da empresa será feito de acordo com as exigências especifícas de cada cliente, uma vez que as relações contratuais terão um período mínimo de 18 meses.

O capital inicial foi subscrito na sua totalidade por Paulo Rocha e Carlos Coelho, estando, no entanto, desde já previsto que possam existir outros accionistas, sendo que ambos entendem que a empresa deverá ter como principais accionistas os seus funcionários.

in Marketing on line

Manutenção da TAP deslocada para Beja

Saturday, May 12 2007 10:05 O investimento da TAP no futuro aeroporto de Beja poderá chegar a 100 milhões de euros, se a oficina de motores acompanhar a manutenção

A unidade de negócio de manutenção e engenharia da TAP está na iminência de trocar a Portela por Beja, de modo a resolver a situação de “estrangulamento de hangares e posições para fazer manutenção de aviões” com que se debate em Lisboa.

O crescimento da frota da transportadora aérea nacional - com mais 14 aviões no espaço de dois anos - já forçou a empresa a recusar propostas para a manutenção de 75 aviões para terceiros, só em 2006, revelou Jorge Sobral, vice-presidente executivo da TAP.

E, como não pode esperar pela construção do novo aeroporto da Ota, a partida para Beja afirma-se como a única solução viável. “A decisão terá de ser tomada até Setembro”, assegura o mesmo responsável.

No aeroporto da cidade alentejana, a TAP criará quatro posições para a manutenção de «wide-bodies» e oito posições para «narrow-bodies». Todos os serviços de engenharia serão igualmente deslocados para Beja, num total de mil efectivos, 400 dos quais recrutados localmente. “Será um pólo de desenvolvimento na região”, prevê Jorge Sobral.

in Expresso


A concretizar-se, este exemplo será revelador das oportunidades de descentralização e descongestionamento da Área Metropolitana de Lisboa

25 concelhos concentram mais de metade do poder de compra em Portugal

Friday, May 11 2007 09:57 Um estudo da Marktest mostra bem as grandes assimetrias que existem em Portugal. Em 25 concelhos, que representam apenas 6% do território português, está concentrado 50% do seu poder de compra, 45% da população, 47% das empresas, 70% da facturação empresarial, 73% dos impostos do Estado e 78% do crédito bancário.

"Uma análise dos dados relativos ao índice de poder de compra regional (sales index) da Marktest, permite verificar como este indicador se concentra num número muito restrito de concelhos. De facto, 25 dos 278 concelhos do Continente concentram metade (50,2%) do índice de poder de compra regional", refere o estudo.

"A repartição geográfica do sales index mostra-nos a sua litoralização e a sua concentração num número muito restrito de concelhos", refere a Marktest, adiantando que "25 concelhos apenas concentram mais de metade do poder de compra de todos os 278 concelhos que compõem o Continente".

Neste grupo de 25 concelhos contam-se Lisboa, Porto, Sintra, Oeiras, Vila Nova de Gaia, Cascais, Loures, Almada, Coimbra, Matosinhos, Braga, Amadora, Seixal, Setúbal, Guimarães, Leiria, Gondomar, Santa Maria da Feira, Maia, Loulé, Vila Franca de Xira, Odivelas, V. N. de Famalicão, Viseu e Aveiro.

Destes, 11 concelhos situam-se na área da Grande Lisboa (até Setúbal), 7 na região do Grande Porto e 1 no Algarve. Para além de Leiria e Aveiro, que são concelhos do litoral, apenas 4 são concelhos do interior (Braga, Coimbra, Guimarães e Viseu), sendo três deles capitais de distrito.

Os 25 concelhos com mais poder de compra ocupam 5,8% da área total do Continente e concentram 44,9% da população aí residente. Aqui estão também localizados 47,1% dos estabelecimentos empresariais e 53,3% das suas pessoas ao serviço.

Da mesma forma, concentram 69,7% da facturação das empresas, 73,2% dos impostos cobrados pelo Estado e 61,2% dos impostos autárquicos. Estes 25 concelhos são ainda responsáveis por 62,1% dos depósitos bancários e por 78,2% do crédito bancário concedido.

A lista dos concelhos com maior índice de poder de compra regional é encabeçada por Lisboa, responsável por 11,3% do poder de compra do Continente. O Porto concentra 3,9% deste índice e Sintra 3,3%. Oeiras e Vila Nova de Gaia estão "empatados", com um índice de 2,3%, um pouco acima dos 2,1% de Cascais. Estes seis concelhos concentram, no seu conjunto, um quarto do poder de compra do Continente.


in Jornal de Negócios

Joan Baez - Forever Young

Friday, May 11 2007 07:20

Dedicado a alguém muito especial na minha vida que comemora hoje mais um aniversário!

Banco Alimentar

Monday, May 7 2007 11:02
"Toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente que lhe assegure e à sua família a saúde e o bem-estar, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda aos serviços sociais necessários"

(Excerto do artigo 25º da Declaração Universal dos Direitos do Homem)



Esta é uma das preocupações deste blog. que nos tem alertado para um sem número de questões, mas felizmente não somos os únicos. Este fim de semana decorreu a campanha de recolha de produtos de bens alimentares do Banco Alimentar.

O Banco Alimentar de Cova da Beira angariou 32 toneladas de produtos na campanha de recolha de 5 e 6 de Maio de 2007, Os bens alimentares serão distribuídos localmente, já a partir da próxima semana, a 2.800 pessoas com carências alimentares comprovadas, através de 35 Instituições de Solidariedade Social.

Para os que sentirem embuidos deste espirito podem clicar aqui.

Ginásio Ecológico

Monday, May 7 2007 10:44
No seguimento do post abaixo e tendo em conta que nem todos se sentem motivados para: «Dê corda aos seus ténis e descubra a sua terra a pé». Deixo um conceito inovador para aqueles que preferem os ginásios!

Pescado aqui

Biocombustíveis relançam agricultura

Sunday, May 6 2007 06:38

NEGÓCIOS VERDES A chegada dos biocombustíveis aos depósitos dos nossos automóveis está a originar uma corrida à produção de cereais e oleaginosas. Os projectos inovadores sucedem-se

O discurso político em torno da emergência dos biocombustíveis ia subindo de tom, e Fernando Penha, 58 anos, engenheiro agrónomo de formação, sabia que corria contra o tempo para provar que em Portugal aquela planta também poderia vingar e ser rentável do ponto de vista da exploração em grande escala.

A colza, uma crucífera da família da couve e do nabo, produz uma vagem cujos grãos contêm um elevado teor de óleo e é considerada uma das matérias-primas mais adequadas à produção de biodiesel. No entanto, não havia (e ainda não há) tradição desta cultura em Portugal.

Fernando Penha decidiu que ia preencher essa lacuna e não perdeu tempo. Visitou vários países europeus onde a colza é cultivada com sucesso, marcou presença em algumas feiras e eventos ligados ao sector agrícola e, em 2005, regressou de Paris entusiasmado com certos resultados que acabara de ver.

texto completo em Expresso

Pedro Norton de Matos

Saturday, May 5 2007 11:31

Um aviso amigo. É com um toque de ironia que o empresário Pedro Norton de Matos se refere ao enfarte de miocárdio que sofreu há dois anos. Um acidente sem sequelas que o fez corrigir o «triângulo infernal» em que vivia: stress, vida sedentária e má alimentação. «Estava com o estilo de vida próprio dos tempos modernos. Andava muito de carro e de elevador, viajava muito, comia demais e a más horas e andava em permanente tensão. Imaginem um banco de tripé: se falha um pé, o banco tomba. Foi o que me aconteceu», brinca Norton de Matos. Depois deste episódio, voltou a praticar exercício com regularidade - na juventude chegou a jogar futebol no Benfica, na categoria de juvenil e júnior - passou a encher menos o prato e a acalmar o seu ritmo de trabalho. «No dia em que tive o ataque de coração, uma espécie de camião que estacionou no meu peito, fiz uma promessa à minha família. Passaria a tomar mais cuidado comigo e o meu ritmo de trabalho seria gerido de uma maneira mais racional», recorda. Actualmente orgulha-se de ter autoridade moral sobre a família, amigos e colegas. «Já cheguei a pegar amigos pelo braço, que viviam com ritmos e hábitos disparatados, obrigando-os a repensar prioridades.» Para manter um coração saudável, recomenda a todos que andem cerca de 50 minutos num terreno plano. «Chega para fortalecer o sistema imunitário», diz, tendo em mente a sugestão desta semana da agenda Expresso/Banif a propósito do Mês do Coração, em Maio: «Dê corda aos seus ténis e descubra a sua terra a pé».

in Expresso
See Older Posts...