Investir em Portugal

o portal da ruralidade contemporânea

Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território: Preâmbulo

Sunday, Jul 2 2006 01:45

Está neste momento em discussão pública o Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território.

Trata-se de um programa a 25 anos que pretende definir métodos e etapas para o ordenamento do território.
A questão que sobressaiu da minha primeira avaliação é que este programa prevê o crescimento das grandes cidades em detrimento do interior do território.

Sendo as grandes cidades um dos maiores entraves ao crescimento do país, face aos custos económicos, logísticos e ambientais que impõem, parece-me ser um programa de premissas erradas.

Será assim tão certo que não teremos nos próximos anos um êxodo urbano? Estarão os empresários e a população tão desatentos à qualidade e baixo custo de vida das médias cidades do interior?

Será que os novos projectos do sector da comunicação e informação, onde se podem incluir a maioria dos call-centers, estarão previstos para as cidades com custos elevados (incluíndo os salariais) quando equiparados às cidades do interior?

Tenho dúvidas. Muitas dúvidas. As tendências das multinacionais são muito esclarecedoras e "PORTUGAL" ainda não percebeu: A relação custos/produtividade da nossa mão de obra está desajustada na economia europeia. Ou trabalhamos esta equação, ou teremos o espectáculo das deslocalizações por muitos anos.

Inovação & Inclusão: Redes Públicas de Internet

Tuesday, Jun 27 2006 06:49
Foi hoje lançado o viactt.
Este sistema permite ter gratuitamente uma caixa de correio electrónica livre de publicidade!
Julgo que para a maioria dos internautas esta medida não é grande coisa, uma vez que a maioria já tem caixas gratuitas.
No entanto, estas caixas trazem algumas vantagens:
- Não recebe publicidade
- Não serão desactivadas pelo facto de não utilização
- São um meio seguro para documentos legais
etc.

Mas, apesar de enaltecer o governo por esta medida, existe outra que seria igualmente bem vinda: Internet gratuita nas vilas e aldeias de Portugal.

E o motivo é simples. Como é que um filho de um casal pouco letrado vai convencer os seus pais a assumir uma assinatura de 25 euros mensais para ter acesso á maior rede pública de informação, algo que os seus pais não entendem sequer a sua mais valia?!

...E, para completar o ramalhete, o estado deveria organizar um serviço público de disponibilização gratuita de pc's, para gerir as máquinas desactivadas nos seus milhares de organismos, com o objectivo de as distribuir a essa população rural.

É apenas uma ideia. Uma ideia para a inclusão...

Inovação & Inclusão: "Roteiro para a Ciência"

Tuesday, Jun 20 2006 06:48
O Presidente da República iniciou mais uma presidência aberta, desta vez dedicada à Ciência: Roteiro para a Ciência.

O Pedro escreveu em tempos algo que se aproxima à ideia que defendo:

"Acho mal, muito mal, que existam universidades em grandes centros urbanos, uma vez que são o melhor promotor da descentralização do território. Para além disso, polvilham centros de investigação e tecnológicos nas suas áreas limitrofes.

Como referiu Cavaco [Silva], o interior goza de uma qualidade de vida que o litoral desconhece, em clara oposição às CHAGAS URBANISTICAS!"

E a questão que se coloca é saber se fará sentido promover universidades públicas nos grandes centros urbanos, quando os exemplos de cidades universitárias como Braga, Bragança, Aveiro, Coimbra, Faro, Viseu e Covilhã demonstram a dinâmica que as mesmas são capazes de desenvolver autonomamente.

Além disso, os pólos de incubação de empresas que cada uma dessas universidades alberga, têm constituido interessantes iniciativas empresariais de reconhecido mérito europeu.

Dito isto, e em nome da racionalização dos recursos estatais, a dispersão dos polos universitários da Universidade de Lisboa e Porto seriam verdadeiros agentes para a EDUCAÇÃO TERRITORIAL, isto é, a sensibilização da população urbana para as vantagens competitivas das cidades do interior do território.

PT cria 700 empregos em Castelo Branco

Monday, Jun 19 2006 06:47

"O Grupo Portugal Telecom vai abrir em Castelo Branco um centro de atendimento que abre portas à criação de cerca de sete centenas de postos de trabalho. Um acordo recente com a câmara albicastrense permite não só o avanço deste empreendimento como o arranque das obras de rebaixamento do actual edifício da empresa na cidade, no âmbito do Programa Polis.
Uma dupla-operação que a edilidade recebe de braços abertos.


A Portugal Telecom e a Câmara de Castelo Branco vão assinar na próxima semana um protocolo que vai abrir portas à instalação de um centro de atendimento (call center) daquela empresa na cidade albicastrense. Um equipamento que logo à partida garante a criação de cerca de sete centenas de postos de trabalho, uma vez que é uma estrutura que irá funcionar durante 24 horas com 266 posições de atendimento.
De acordo com aquilo que “Reconquista” conseguiu apurar, os “call centers” são centrais onde as chamadas são processadas ou recebidas e que tanto podem estar ao serviço da própria Portugal Telecom como de outras empresas a quem esta presta serviços. Aliás, este factor é considerado hoje em dia por diversos especialistas como “uma ferramenta altamente competitiva, em segmentos como telemarketing, vendas a retalho, serviços financeiros, pesquisas de mercados e tratamentos de inquéritos, entre outros”. Com diversos “call centers” espalhados pelo país (em cidades como Porto, Coimbra, Évora ou Bragança) o certo é que o de Castelo Branco vai ser o maior fora de Lisboa e a importância desta operação vai fazer deslocar à cidade albicastrense o actual presidente executivo da PT, Miguel Horta e Costa, para se sentar à mesa com os responsáveis autárquicos locais. Em reuniões prévias com o presidente da câmara Joaquim Morão ficou tudo acertado para a instalação deste centro em Castelo Branco, bem como os procedimentos a tomar daqui em diante para o rebaixamento do actual edifício PT na cidade, uma obra envolvida na operação Polis que ainda decorre. Segundo apurámos, essas obras no edifício não condicionam a abertura do “call center”, uma vez que pela sua dimensão este equipamento será colocado em funcionamento noutra zona da cidade. A câmara, segundo confirma ao “Reconquista” Joaquim Morão, está ainda a equacionar qual o melhor local para o instalar, dentro dos equipamentos que tem disponíveis em zonas centrais da urbe albicastrense.
A importância dos “call centers” Numa altura em que as novas tecnologias são avidamente disputadas como armas de competitividade entre empresas, e até entre cidades, a criação deste centro em Castelo Branco vem criar diversos impactos positivos na região, sendo o mais visível à partida, como atestam várias fontes, o do número de postos de trabalho que fixa na cidade. Os próprios responsáveis da PT Contact (empresa do Grupo PT que explora este mercado), num jantar que decorreu com empresários da região na passada semana (ver peça ao lado) destacavam a sua actualidade como “sendo locais onde se disponibiliza a melhor tecnologia de última geração para agilizar e operacionalizar as acções ali desenvolvidas”. Na prática, hoje em dia, já muita gente entrou em contacto com centros deste género, sem o saber, porque quando se telefona para a PT ou para outra empresa na realidade a pessoa não sabe se o atendimento está a ser feito naquele local ou num centro de atendimento especializado. “Podemos criar valor aos nossos clientes”, refere um responsável da PT Contact, “fidelizando e melhorando os níveis de interacção com os seus clientes”. Ou seja, para além de servir a própria estratégia da PT, “se uma outra qualquer empresa quiser nós podemos trabalhar para ela e inclusivamente instalar um centro de contactos dentro das suas próprias instalações com material e pessoal nosso”.
Para Joaquim Morão, esta operação com a PT é duplamente feliz para Castelo Branco. Cria emprego e concretiza a aspiração há muito desejada de resolver a questão do edifício da empresa nesta cidade, considerado unanimemente como um mamarracho. “Empenhámo-nos bastante nesta dupla-operação, sobretudo nesta nova questão do «call center» já que vai certamente gerar fixação de pessoas e mais desenvolvimento numa área de futuro”, refere o autarca, acrescentando que “temos revolucionado a cidade em muitos aspectos, temos contribuído para a criação de emprego, mas pela sua dimensão este é um empreendimento que vai deixar uma marca muito positiva”.
A resolução da questão do edifício merece-lhe também uma palavra:
“recentemente apresentámos em Assembleia Municipal a solução final para aquele espaço que vai rebaixar o edifício e requalificar a praça envolvente, ficando a cidade a ganhar uma nova zona”. A concluir adianta que “este é um excelente acordo para Castelo Branco e para a própria empresa”.
José Júlio Cruz"

Fonte: Reconquista

Inovação & Inclusão: "Roteiro para a Ciência"

Monday, Jun 19 2006 06:43
Inicia-se hoje a rúbrica "Inovação & Inclusão" no blogue Beira Medieval(*).
Esta rúbrica merecerá todas as terças feiras um desenvolvimento sobre esta temática, demonstrando que a aplicação mais nobre para a inovação tecnológica é a inclusão territorial do Interior na projecto económico português.
O futuro da mesma será ditado pelo interesse que obtiver da sua parte! :-)

Já usei no passado um "Roteiro" do Presidente da República para um post, que foi curiosamente o mais comentado até hoje.

Numa óptica pessoal, as temáticas lançadas pelas "altas figuras do estado" devem ser exploradas pelos grupos minoritários para demonstrar a necessidade de medidas mobilizadores de desenvolvimento. No caso concreto do Blogue Medieval, a temática da inclusão é um excelente rastilho para demonstrar que a homogeneização do território nacional é a medida necessária para a desejada competitividade de Portugal.

Com isto, adianto que o primeiro post será dedicado ao Roteiro para a Ciência!


(*) Blogue inicial onde se iniciou a rúbrica que é actualmente nome de um blogue próprio

Presidencia Aberta: Roteiro para a Inclusão e Contra a Pobreza

Wednesday, May 31 2006 06:41

No âmbito da primeira presidência aberta, Cavaco Silva surpreendeu os autarcas com declarações concisas sobre as necessidades REAIS para o desenvolvimento integrado do país.
O maior responsável pela remodelação de equipamentos sociais em Portugal disse que as prioridades actuais passam pela intervenção social. Em concreto, pela inclusão social de jovens e idosos.
Por outro lado, referiu a necessidade de medidas estruturantes para a competitividade económica do interior do país.

Foi aqui que inovou: A competitividade portuguesa passa pela homogeneização do território, explorando as vantagens regionais das diferentes organizações. E, aliando intituições regionais ao vigor de outras mais competitivas, poderemos encontrar um caminho para sermos mais fortes.



Por outras palavras, o sucesso económico português passa por parcerias inter-regionais heterogéneas, permitindo a optimização de recursos humanos e financeiros. Além da partilha de conhecimentos!

A pergunta que se coloca é: Em que medida podem as Câmaras promover esses projectos, sem a utilização de MAIS recursos financeiros?

"Apimentando" um pouco mais: Que saidas profissionais pode esperar a "GERAÇÃO DO CONHECIMENTO" no INTERIOR?

Interioridade: Vantagem ou desvantagem?

Saturday, May 27 2006 06:39

A propósito do post sobre a evolução da população de Trancoso, iniciou-se uma interessante discussão que venho retomar.
A questão que se coloca é se, nos próximos 20 anos, a "interioridade" é genericamente um factor de diferenciação positiva ou negativa!
Esta minha dúvida advém da constatação que os decisores nas médias organizações vivem cada vez mais a centenas de kilometros dos seus escritórios, convertendo as tradicionais reuniões em teleconferência ou em conferência telefónica.

Alguns dados que vale a pena revelar: O tráfego rodoviário de ligeiros nas autoestradas revela deslocações para os grandes centros entre as 18 horas de domingo e as 10 horas da manhã de segunda. Tráfego no sentido inverso entre as 18 horas de QUARTA FEIRA e as 24 horas de sexta feira. Sendo que entre quarta e quinta feira fazem o circuito inverso 50% dos automobilistas que na noite de domingo se deslocaram para os grandes centros urbanos.
O intercidades e a Rede Expresso revelam os mesmos dados...
Os empresários nacionais de grandes organizações trabalham habitualmente um a dois dias por semana apartir das suas residências. Tratando-se de empresários que têm conseguido encontrar novas oportunidades de negócio para este periodo de estagnação económica em Portugal, não creio que estejam a "dormir" nesses dias de ausência ás suas sedes profissionais.
A reflexão que estes dados nos merece é se não estamos perante uma nova tendência de êxodo urbano (seiscentas referências em lingua portuguesa) sendo as cidades do interior as beneficiárias desse êxodo.

Por outras palavras, se exemplos como o Burgo Medieval de Colleta Di Castel Bianco (na foto) não irão polvilhar o nosso território nacional.

e-Aldeia

Saturday, May 27 2006 06:37

Colleta Di Castel Bianco é um burgo medieval em Itália.
Abandonada pelos seus habitantes, que se foram deslocando para o litoral, esta aldeia foi posteriormente adquirida por um fundo imobiliário para desenvolver um conceito inovador: Aldeia Digital

O conceito é simples: Longe da confusão das grandes cidades, venha viver ou passar uns dias a uma aldeia que está ligada ao mundo. Isto significa que este burgo medieval tem assegurada ligação de banda larga de internet e televisão permitindo que decisores, gestores e criativos possam teletrabalhar para as suas organizações a partir de um lugar com características deslumbrantes.

Estando o nosso país repleto de aldeias abandonadas, com acesso à banda larga, este conceito tem todas as condições para se propagar em Portugal.

O Espírito da Descoberta

Tuesday, May 16 2006 06:35 Terminou hoje o 1º Evento da Fundação para as Artes, Ciências e Tecnologias – Observatório – “O Espírito da Descoberta”, que teve lugar na cidade de Trancoso. Contou com a presença de personalidades das mais variadas disciplinas e de diferentes países, tais como: EUA, Hungria, Itália, Holanda, Polónia, Inglaterra, Suíça, Portugal e Brasil.

Entre estes os oradores, estiveram René Berger, Joseph Brenner, Gonçalo Furtado, Alex Adriaaseen, Roy Ascott, Marcos Novak, Gyorgy Darvas, Giorgio Alberti e António Cerveira Pinto

Para além das conferências, tiveram ainda lugar três exposições de importância internacional: Dove Bradshaw de Nova Iorque, cujos trabalhos integram os acervos de Metropolitan Museum MOMA Whitney entre outros; Monika Weiss, nascida na Polónia, celebre artista, actualmente professora na Universidade de Washington; Francesco Mariotti, Suíço, cujos trabalhos têm estado presentes em eventos como bienal de Veneza, Documenta de Kassel, Bienal de São Paulo entre outros, há mais de 40 anos...


Nessa ocasião foi ainda apresentado o projecto de arquitectura do Museu do Design do Tempo, da autoria do Arqº Emanuel Dimas de Melo Pimenta
A planteia foi preenchida por artistas, filósofos e cientistas.

Estas iniciativas surgem na continuidade da constituição da Fundação para as Artes, Ciências e Tecnologias – Observatório, em Dezembro 2005, entre a Câmara Municipal de Trancoso e o Arqº Emanuel Dimas Melo Pimenta. O objectivo desta fundação é o de tornar Trancoso num centro planetário para a reflexão sobre artes, descobertas cientificas e filosofia.












Viagem a Lisboa

Tuesday, May 16 2006 06:34 Estive na passada semana em Lisboa para realizar um conjunto de reuniões.
A primeira surpresa é que a conversa com a Presidente da empresa foi por video-conferência porque está a viver em Serpa.
Depois, para os vários interlocutores a preocupação era em saber como é que poderiam fazer como eu, isto é, trabalhar nas suas organizações apartir da sua terra no interior do país...

Quando sai de uma reunião, estive 30 minutos para andar 5 kms. Depois disso tive uma operação stop onde fiquei retido 10 minutos. A seguir, já na IC 19, fui o primeiro carro a livrar-se de um choque em cadeia que envolveu 10 viaturas.

Para quê palavras! É o resultado de um mau planeamento naquela terra mal frequentada...
See Older Posts...